Bruno Oliveira

Após onda de protestos na França, descontentamento com Macron vai a 75%


 A impopularidade do presidente francês, Emmanuel Macron, subiu para 75%, revelou pesquisa de opinião realizada pelos institutos Odexa e Dentsu Consulting, publicada na quinta-feira (3) pelo jornal Le Figaro e pelo site Franceinfo.


No levantamento anterior, realizado em abril, 59% dos franceses se diziam insatisfeitos com o governo.


Nos últimos meses, os protestos antiausteridade dos chamados coletes amarelos causaram desgaste para Macron, que se viu forçado a recuar em um projeto de aumento de impostos sobre combustíveis.


Além disso, o líder francês lida com um escândalo envolvendo um ex-segurança, que foi filmado agredindo manifestantes nos protestos de 1º de maio e demitido posteriormente.


Segundo a pesquisa, a popularidade de Macron caiu tanto entre habitantes de zonas rurais e pequenas cidades, berço do movimento dos coletes amarelos, quanto nas grandes cidades.


Ainda assim, entre os simpatizantes do partido de Macron, a República Em Marcha!, 86% se dizem satisfeitos com o governo.
 

TESTE DE FOGO PARA A UE
Novato em eleições, Macron chegou à Presidência em maio de 2017 após conquistar 66% dos votos, derrotando Marine Le Pen, da ultranacionalista Reunião Nacional (chamada na época de Frente Nacional). Desde então, ele vem gradualmente perdendo popularidade.
Ex-banqueiro, Macron é visto como retaguarda do projeto liberal da União Europeia (UE), diante da perda de espaço dos partidos sociais-democratas tradicionais e do avanço de legendas ultraconservadoras e eurocéticas pelo continente.


O próximo teste de resistência da UE se dará em maio, quando deverão ocorrer as próximas eleições para o Parlamento Europeu. Um avanço de agremiações populistas no pleito pode representar um novo choque para o bloco regional.

Com informações da Folhapress



últimas

  1. Edições falsas do Washington Post com notícia de saída de Trump são distribuídas nos EUA
  2. Polícia descarta tentativa de execução em caso de deputada que teve carro baleado
  3. México se oferece para mediar diálogo entre Maduro e oposição venezuelana
  4. Covas revoga ordem que proibia servidor de alimentar animais em cemitérios de SP
  5. Ex-ministro da Saúde é acusado de favorecer empresas em compra de remédios
On Top