Bruno Oliveira

Assessor de Trump convida Bolsonaro para encontro com presidente dos EUA


 O presidente eleito, Jair Bolsonaro, prestou continência para o assessor de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, antes de uma reunião entre os dois na manhã desta quinta-feira (29) no Rio.


Depois de deixar o local, Bolton disse nas redes sociais que a reunião "foi muito produtiva" e convidou Bolsonaro para um encontro com o presidente dos EUA, Donald Trump. "Estamos ansiosos para uma parceria dinâmica com o Brasil", escreveu.
O encontro aconteceu na casa de Bolsonaro, na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade.


Bolton chegou às 6h54 escoltado por batedores da PM numa comitiva com quatro carros e não falou com os jornalistas. Ele deixou o local uma hora depois.
O assessor fez uma escala no Brasil antes de viajar para o encontro do G-20, em Buenos Aires.


Bolton é um dos principais conselheiros do presidente Donald Trump em política externa e figura controversa.
O assessor é um crítico dos governos da Venezuela, Cuba e Nicarágua e costuma chamar esses países de "Troica da Tirania".
Ele já disse que os EUA têm interesse em fazer alianças com os governos do Brasil e da Colômbia para aumentar a segurança e melhorar a economia na América Latina.


Com Bolsonaro, Bolton deve reforçar os pedidos do governo americano para que o Brasil imponha sanções à Venezuela.
O presidente eleito é acompanhado no encontro por três de seus futuros ministros: Fernando Azevedo e Silva (Defesa), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores).


Depois do encontro com o assessor de Donald Trump, Bolsonaro participará da formatura na Escola Superior de Aperfeiçoamento de Oficiais, na Vila Militar. Lá, o presidente eleito deverá falar sobre a reunião com Bolton.
Na sexta (30), Bolsonaro visitará Guaratinguetá e Aparecida.

Com informações da Folhapress



últimas

  1. Depoimento de João de Deus tem teclado quebrado, gritos, fio queimado e agente ferido
  2. Médium João de Deus se entrega em estrada de terra de Abadiânia, em Goiás
  3. Crise na Nicarágua se agrava, diz secretário da Comissão de Direitos Humanos da OEA
  4. Maduro não foi convidado para a posse de Bolsonaro, diz futuro chanceler
  5. Movimentações em contas de João de Deus após denúncias reforçaram pedido de prisão
On Top