Bruno Oliveira

Filho de Netanyahu não pagou conta de R$ 9.800 em hotel no Rio, diz jornal


O filho do premiê de Israel Binyamin Netanyahu não pagou a conta de mais de R$ 9.800 de seu quarto de hotel durante sua visita ao Rio no final de 2018, informou nesta terça-feira (12) o jornal israelense Haaretz. 


Yair Netanyahu, 27, esteve na cidade de 28 a 31 de dezembro acompanhando o pai, na primeira visita de um primeiro-ministro israelense no cargo ao Brasil.


Entre outras atividades, Binyamin se encontrou com então presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), e depois compareceu a sua posse em Brasília no dia 1º. 


Durante sua estadia, o premiê esteve acompanhado de sua mulher, Sara, e de Yair, o filho mais velho do casal. No Rio, a família ficou hospedada no Hilton em Copacabana, um dos principais hotéis na cidade.


Pelas regras de Israel, porém, o governo só pode pagar as contas do premiê e da primeira-dama.


Durante a visita, o gabinete do primeiro-ministro chegou a afirmar que as despesas de Yair seriam pagas diretamente pela família Netanyahu, mas isso não aconteceu ainda, de acordo com o Haaretz. 


Segundo a publicação, o valor total da conta de Yair pelos quatro dias é de R$ 9.820 (US$ 2.560), incluindo R$ 1.836 pelo quarto nos dias 28 e 29 e R$ 2.827 nos dias 30 e 31 -o aumento acontece por causa do Réveillon. Há ainda despesas de serviço de quarto, lavanderia e impostos. 

 
A imprensa israelense disse que o hotel entrou em contato com o Ministério de Relações Exteriores do país para receber o dinheiro, mas a pasta teria avisado que não tem como resolver a questão porque a viagem de Yair é um assunto privado e pediu que a empresa procurasse diretamente o gabinete de  Binyamin Netanyahu. 


Em nota, o premiê voltou a afirmar que pagará as despesas do filho. "Todos os custos de viagem do filho do primeiro-ministro serão totalmente pagos pela família Netanyahu", disse o comunicado. "A família só recebeu a conta há alguns dias e pagará como anunciado". 


Esta não é a primeira polêmica envolvendo Yair, que chegou a ter sua conta nas redes sociais suspensa por ofensas contra muçulmanos e palestinos. Ele também já foi flagrado em vídeos frequentado um bar de striptease em Tel Aviv. 


A revelação do caso acontece em um momento delicado para o premiê, atualmente em campanha para um novo mandato. Investigado por corrupção, Binyamin Netanyahu aparece em segundo lugar nas pesquisas, atrás da sigla centrista Kahol Lavan (Azul e Branco), do general da reserva Benny Gantz e do ex-âncora de TV Yair Lapid. 

Folhapress



últimas

  1. Candidata do PSL diz à PF que ministro do Turismo pediu desvio de dinheiro na eleição
  2. Apagão volta a atingir Caracas e outras regiões da Venezuela
  3. Em reunião com ministros, Bolsonaro defende relação pacífica com Maia
  4. Investigado na Lava Jato é encontrado morto em Porto Alegre
  5. Governo Bolsonaro suspende avaliação de alfabetização por dois anos
On Top