Bruno Oliveira

Greve afeta distribuição de dinheiro em espécie na Alemanha


 Uma greve de funcionários do setor de transporte de valores afetou a distribuição de dinheiro em espécie em toda a Alemanha nesta quarta-feira (2), primeiro dia útil de 2019.


De acordo com o sindicato da categoria, o Ver.di, a paralisação deixou caixas automáticos e bancos desabastecidos, em um país onde pagamentos do dia a dia por cartão de débito ou crédito ainda é pouco usual.


"Muitos bancos e varejistas não receberam mais dinheiro em espécie depois dos feriados. Caixas automáticos que muitas vezes ficam vazios após a virada não serão reabastecidos", disse o negociador-chefe do Ver.di, Arno Peukes.


O sindicato, que representa 12 mil trabalhadores, busca com a greve um aumento de 1,50 euro no salário/hora da categoria.


Atualmente, segundo o Ver.di, os funcionários do setor ganham por mês, em salário bruto, entre 1.800 e 2.400 euros (R$ 7.770 e R$ 10,4 mil) nos estados do leste -que formavam a antiga Alemanha Oriental, comunista. Nos estados do oeste, os salários vão de 2.200 a 2.900 euros (R$ 9.500 a R$ 12,5 mil).


A adesão à paralisação foi alta, informou o sindicato. Mas a Associação Federal dos Serviços Alemães de Dinheiro e Valor, que representa as empresas, minimizou o impacto da greve.
"O fornecimento de dinheiro na Alemanha não entrará em colapso", disse nesta quarta-feira uma porta-voz da associação. "Uma greve de mais dias ou mais semanas, aí seria um problema."
As negociações entre sindicato e empresas continuam nesta quinta-feira (3).



últimas

  1. Temer deve ser ouvido por delegado considerado seu 'maior inimigo' na PF
  2. Certificado de estabilidade dificultou investigação sobre barragem em Brumadinho, diz promotor
  3. Após repercussão negativa, Bolsonaro apaga vídeo de 'golden shower'
  4. Ministros do STF criticam espetacularização da Lava Jato ao prender Temer
  5. Como Lula, Temer ficará em carceragem da PF
On Top