Bruno Oliveira

João de Deus passa mal na prisão, tem sangramento e é levado para hospital de GO


 O médium João Teixeira de Faria, 77, o João de Deus, passou mal nesta quarta-feira (2) no Núcleo de Custódia do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital, onde está preso preventivamente por suspeita de praticar crimes sexuais. Ele foi encaminhado pela equipe do presídio para se submeter a exames de urgência em um hospital público após sentir fortes dores no estômago e tonturas e ter sangramento no pênis e nas fezes.


Na última sexta-feira (28), João de Deus foi denunciado sob a acusação de dois crimes de violação sexual mediante fraude e dois estupros de vulneráveis. Os crimes teriam ocorrido durante atendimentos espirituais na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, próximo ao Distrito Federal.


O médico João Paulo Resende, a gerente de assistência biopsicossocial da Superintendência Executiva de Administração Penitenciária (Seap), Daniella Santos Cruvinel da Cruz, e o diretor do Núcleo de Custódia, Brunno Morais, assinaram a requisição de permissão para a saída médica.


O médium faz tratamento de cardiologia com cinco stents instalados no coração e tem apenas 40% do estômago em funcionamento, já que a maior parte do órgão foi retirada por causa de um câncer que o acometeu.


Um dos advogados de João de Deus em Goiânia, Alex Neder disse que o médium começou a passar mal ainda na manhã desta quarta. "A situação dele, antes da prisão, já era diferenciada e preocupante. Com a prisão, a saúde dele se agravou", disse.


De acordo com o advogado, o sistema prisional não tem infraestrutura adequada para atendimento em saúde. Segundo ele, o quadro de João de Deus é delicado porque o médium "não pode comer qualquer coisa".


"João de Deus está muito abalado e disse que ficou preocupado quando começou a passar mal. Os médicos dele são de São Paulo. Ele tem medo de ter hemorragia ou outro problema e não ser operado urgentemente pelos médicos dele, em quem ele confia", afirmou Neder.


O juiz plantonista Wilson Safatle Faiad concedeu habeas corpus a João de Deus, na última quinta-feira (27), em relação à acusação de porte ilegal de armas. No entanto, o médium continua preso por causa da acusação de crimes sexuais.
João de Deus está preso desde o dia 16 de dezembro, após se entregar à Polícia Civil de Goiás. O sistema prisional não informou o nome do hospital para onde ele foi encaminhado.


A defesa ainda aguarda julgamento de pedido de habeas corpus protocolado junto ao STF (Supremo Tribunal Federal) para que seja concedida a liberdade ou decretada a prisão domiciliar do médium com uso de tornozeleira eletrônica. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, já se manifestou contrariamente ao pedido.


Para o Ministerio Público de Goiás, João de Deus não apresenta um quadro de saúde debilitado que justifique uma prisão domiciliar como requer a defesa dele.

Com informações da Folhapress



últimas

  1. Temer deve ser ouvido por delegado considerado seu 'maior inimigo' na PF
  2. Certificado de estabilidade dificultou investigação sobre barragem em Brumadinho, diz promotor
  3. Após repercussão negativa, Bolsonaro apaga vídeo de 'golden shower'
  4. Ministros do STF criticam espetacularização da Lava Jato ao prender Temer
  5. Como Lula, Temer ficará em carceragem da PF
On Top