Bruno Oliveira

Livre da máfia da merenda, Capez vai comandar o Procon no governo Doria


 O governador de São Paulo eleito, João Doria (PSDB), disse nesta terça-feira (4) que o deputado estadual Fernando Capez, também do PSDB, comandará o Procon de São Paulo a partir de 2019. Doria disse ter convidado Capez, que teria aceitado o convite para assumir o cargo.
"Vai comandar o Procon no nosso governo. Resposta clara e objetiva. Já foi convidado, já aceitou, e será o presidente do Procon", disse Doria.
Ex-presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Capez foi acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro por suposto envolvimento na chamada máfia da merenda. Em junho, o STF trancou a ação penal.


Mobilizada pela Polícia Civil e pelo Ministério Público de São Paulo, a Operação Alba Branca, para apurar desvios e fraudes na compra de suco para a merenda escolar em São Paulo, veio a público em 19 de janeiro de 2016, quando membros da Coaf (Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar), de onde partiu a investigação, acusaram políticos de receber propina para liberar contratos com o governo e municípios.
Detidos, os então integrantes da Coaf disseram em depoimento que, nos contratos relativos ao Estado (de R$ 11,4 milhões), a propina foi negociada com ex-assessores do gabinete de Capez (PSDB). À epoca, todos negaram participação em crimes.
Como a maior parte do dinheiro usado para comprar produtos da agricultura familiar tinha origem federal, a apuração da Alba Branca referente às prefeituras foi para o Ministério Público Federal.


Já a parte referente a Capez ficou com a Procuradoria-Geral de Justiça do Ministério Público de São Paulo, devido ao foro especial.
Por correlação, a Procuradoria ficou incumbida de investigar também todos os suspeitos ligados às fraudes nos contratos com Estado, como ex-assessores de Capez, um cunhado dele, ex-membros do governo e um lobista.
Doria confirmou a indicação de Capez durante entrevista coletiva à imprensa para anunciar o deputado estadual tucano Marco Vinholi como secretário de Desenvolvimento Regional (pasta que se tornou conhecida como secretaria do Interior) e o presidente do Secovi-SP, Flávio Amary, como secretário de Habitação.

Com informações da Folhapress



últimas

  1. Depoimento de João de Deus tem teclado quebrado, gritos, fio queimado e agente ferido
  2. Médium João de Deus se entrega em estrada de terra de Abadiânia, em Goiás
  3. Crise na Nicarágua se agrava, diz secretário da Comissão de Direitos Humanos da OEA
  4. Maduro não foi convidado para a posse de Bolsonaro, diz futuro chanceler
  5. Movimentações em contas de João de Deus após denúncias reforçaram pedido de prisão
On Top