Bruno Oliveira

Trump cancela encontro com Putin no G20 em retaliação por apreensão de navios ucranianos


 O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, informou em uma rede social que cancelou o encontro previsto com o presidente russo, Vladimir Putin, durante a cúpula do G20, em Buenos Aires.


Trump afirmou em seu perfil no Twitter que a reunião bilateral foi cancelada diante da recusa russa de devolver os três navios ucranianos apreendidos no domingo passado (25) e libertar seus tripulantes. 


"Eu espero por um novo encontro significativo assim que esta situação se resolver", escreveu o americano, que disse atender aos melhores interesses de todos os envolvidos.


Dois navios pequenos de guerra e um rebocador ucranianos foram apreendidos pela patrulha de fronteira da Rússia quando tentavam entrar no mar de Azov pelo estreito de Kertch -território compartilhado entre os dois países. Nesta terça-feira (27), 15 dos 24 marinheiros detidos foram sentenciados a dois meses de prisão. 


Putin afirmou nesta quarta-feira (28) que as forças navais russas agiram corretamente e que o incidente foi provocado pelos ucranianos para aumentar a tensão na região e levar a mais sanções contra os russos. O líder russo afirmou ainda que vários barcos ucranianos passaram tranquilamente pelo estreito de Kertch em setembro.


A Ucrânia, que decretou lei marcial no país alegando ameaça de uma invasão russa, diz que estava em obediência às leis marítimas internacionais e que alertou a Marinha russa de que passaria pelo estreito.


O episódio levou a duras críticas aos russos dos EUA e de vários países do bloco europeu. Nesta terça (27), Trump já alertara que poderia cancelar o encontro com Putin no G20, que acontece nos próximos dois dias na capital argentina.
Um porta-voz do Kremlin citado pela agência de notícias Ifax disse ter descoberto sobre o cancelamento pelo Twitter e que não houve nenhum comunicado oficial da diplomacia americana.


A primeira vice-ministra de informação da Ucrânia, Emine Dzhaparova, disse nesta quinta em entrevista coletiva que a Argentina proibiu a exibição, durante a reunião do G20, de um cartaz de campanha do governo ucraniano que simboliza os efeitos das agressões da Rússia contra seu país. O cartaz mostra um mapa da Ucrânia com a Crimeia dividida e sangrando.


"Eu vivia na Crimeia e minha família ainda está lá, e o que contam hoje sobre o nível de censura e de opressão em que vivem é assustador, corresponde ao de um ambiente de guerra e exceção constante", afirmou Dzhaparova sobre a situação na região, mais de quatro anos após a anexação do território pela Rússia.


A vice-ministra disse que sua presença no G20 tem como objetivo chamar a atenção dos líderes para pedir a liberação dos marinheiros ucranianos junto com as três embarcações.

Com informações da Folhapress



últimas

  1. Depoimento de João de Deus tem teclado quebrado, gritos, fio queimado e agente ferido
  2. Médium João de Deus se entrega em estrada de terra de Abadiânia, em Goiás
  3. Crise na Nicarágua se agrava, diz secretário da Comissão de Direitos Humanos da OEA
  4. Maduro não foi convidado para a posse de Bolsonaro, diz futuro chanceler
  5. Movimentações em contas de João de Deus após denúncias reforçaram pedido de prisão
On Top