Bruno Oliveira

Doria afirma que pagará R$ 100 mil a famílias de vítimas


O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta quinta-feira (14) que pagará indenização de cerca de R$ 100 mil para cada uma das famílias das sete vítimas do ataque na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na Grande SP.
Como os cinco alunos e as duas funcionárias estavam em uma escola estadual, suas famílias serão indenizadas pelo governo em até 30 dias -uma oitava vítima, tio do atirador, morreu fora da escola.


No entanto, caso optem por receber os R$ 100 mil, as famílias terão que assinar um documento se comprometendo a não acionar judicialmente o estado. Segundo Doria, essa possibilidade não pesou em sua decisão de indenizar.
"Os valores estão sendo definidos pela Procuradoria, mas será em torno de R$ 100 mil por vítima, com pagamento em até 30 dias", disse Doria.


"O governo do estado vai condicionar ao documento assinado pela família da vítima. Ao receber a indenização [a família terá que] abrir mão de qualquer processo indenizatório contra o estado de São Paulo", completou. Doria lembrou que as famílias poderão optar por não receber a indenização e entrar na Justiça.


A decisão de pagar a indenização foi adiantada pela coluna Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo.


Especialistas procurados pela reportagem consideraram baixo o valor oferecido.


"Eu achei baixo, mas é uma questão de avaliação. O governador sabe trabalhar com essa questão de minimizar custos. Ele evita processos que serão custosos, que irão se arrastar por anos e ganha a simpatia da população", diz Ana Paula Patiño, advogada especialista em direito civil e professora da Escola de Direito do Brasil.


Em nota, o governo do estado afirma que "o valor citado trata-se de estimativa apenas inicial" e que os casos serão avaliados individualmente.

Folhapress



últimas

  1. Apagão volta a atingir Caracas e outras regiões da Venezuela
  2. Em reunião com ministros, Bolsonaro defende relação pacífica com Maia
  3. Investigado na Lava Jato é encontrado morto em Porto Alegre
  4. Governo Bolsonaro suspende avaliação de alfabetização por dois anos
  5. Professor do Quênia que doa 80% do salário ganha 'Oscar da educação'
On Top