Bruno Oliveira

Meirelles acena com vice ao PRB e aposta em racha do centrão


 O pré-candidato do MDB ao Planalto, Henrique Meirelles, se encontrou nesta quarta-feira (18) em Brasília com o presidente do PRB, Marcos Pereira, para tentar convencê-lo a compor sua chapa na disputa de outubro.
Aliados afirmam que Meirelles sinalizou com a vaga de vice ao PRB caso a sigla aceite apoiá-lo. Com apenas 1% nas pesquisas, o pré-candidato não tem nenhum partido na sua coligação e enfrenta dificuldades para costurar acordos, principalmente por ser identificado como nome do governo mais impopular da história -o presidente Michel Temer é reprovado por 82% da população, segundo o Datafolha.
Meirelles também marcou de se encontrar com o presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PI), nesta quarta, em Brasília.


O ex-ministro da Fazenda já havia conversado com Pereira em outras ocasiões, sem resultados concretos, mas decidiu fazer nova investida esta semana, na reta final das negociações.
Sua avaliação é de que o cenário mudou e agora é provável que o centrão termine rachado. Dessa forma, investe na conquista de algum partido do grupo no varejo.
O bloco -composto por DEM, PP, Solidaridade, PRB e PR- inicialmente havia decidido caminhar junto no apoio a um nome ao Planalto, mas hoje está dividido entre Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB).
O PRB está mais inclinado ao tucano, mas Meirelles aposta no discurso de que Alckmin também não deslancha -tem até 7%-, com o passivo de já ter sido governador de São Paulo e ter disputado eleição presidencial.
Já o PP tem inclinação a Ciro Gomes e dificilmente se aliaria ao MDB nesse momento. O partido, porém, tem cargos no governo Temer e já recebeu recados de que o presidente "não ficará feliz" caso a sigla fechasse acordo com Ciro.



últimas

  1. Médium João de Deus se entrega em estrada de terra de Abadiânia, em Goiás
  2. Crise na Nicarágua se agrava, diz secretário da Comissão de Direitos Humanos da OEA
  3. Maduro não foi convidado para a posse de Bolsonaro, diz futuro chanceler
  4. Movimentações em contas de João de Deus após denúncias reforçaram pedido de prisão
  5. Regime Ortega invade mais uma vez sede de jornal de oposição nicaraguense
On Top